A Apple apresentou uma atualização de seu aplicativo de Saúde com a versão beta do iOS 11.3, que inclui um recurso para que os usuários vejam seus registros médicos diretamente no iPhone. Para fazer isso, fez parceria com 12 hospitais e clínicas nos Estados Unidos, bem como provedores de EHR.

A seção de Registros de Saúde, atualizada no aplicativo de Saúde, reúne hospitais, clínicas e o aplicativo de Saúde existente para que os consumidores possam ver seus dados médicos disponíveis de vários fornecedores sempre que desejarem.

Até agora, os registros médicos dos pacientes foram realizados em vários locais, o que exigiu que os pacientes inserissem o site do provedor de cuidados e compilassem as informações manualmente. A Apple trabalhou com a comunidade de saúde para adotar uma abordagem amigável ao consumidor, criando registros de saúde com base no FHIR (Fast Medical Care Interoperability Resources), um padrão para a transferência de registros médicos eletrônicos.

Desta forma, os consumidores terão informações médicas de várias instituições organizadas em uma audiência que cobre alergias, condições, imunizações, resultados laboratoriais, medicamentos, procedimentos e sinais vitais, e receberá notificações quando seus dados forem atualizados. Os dados de registros de saúde são criptografados e protegidos com o código de acesso do iPhone do usuário.

“Nosso objetivo é ajudar os consumidores a viver melhor, trabalhamos em estreita colaboração com a comunidade de saúde para criar uma experiência que todos queriam há anos: ver registros médicos de forma fácil e segura diretamente em seu iPhone”, disse Jeff Williams, diretor de operações da Apple. “Ao capacitar os usuários para ver sua saúde em geral, esperamos ajudá-los a entender melhor sua saúde, além de levar vidas mais saudáveis”.

Alguns dos hospitais e clínicas que já possuem esta função beta disponíveis para seus pacientes são Johns Hopkins Medicine, Cedars-Sinai ou Penn Medicine, entre outros, e espera-se que, nos próximos meses, mais centros médicos estejam conectados para registros de saúde para oferecer aos pacientes acesso a essa função.

Fonte: www.apple.com